Aprender a empreender – as lições que valem ouro

Tempo de leitura: 9 minutos

Aprender a empreender é algo contínuo.

Nos negócios, não existe certo ou errado, e também não existem caminhos únicos.

Cartoon com a cabeça aberta com um mascote fazendo academia

Cada passo dado é uma escolha que impacta em possibilidades futuras.

  • Já tive ideias fantásticas que nunca se transformaram em oportunidades.
  • Já tive oportunidades passando pela minha frente e que acabei não aproveitando.

Nossas escolhas dependem de uma série de variáveis, incluindo: valores pessoais, experiências anteriores, conselhos e relacionamentos, modo e momento de vida.

a experiência é um professor duro porque passa o teste antes de dar a lição

A questão a ser analisada em profundidade é: você está buscando sua independência financeira? Isso é importante?

Ter independência financeira, não é um objetivo isolado, mas uma forma de construir um percurso mais prazeroso.

Se o que importa na vida é ser feliz, para viver essa plenitude é preciso mais do que esforço, dedicação e sorte.

Aprender a empreender é um tipo de esforço que é pra sempre.

Cartoon na rua, fazendo sinal de positivo

A nossa cabeça funciona assim:

  • nos deparamos com certezas que antes eram absolutas;
  • às vezes estas se transformam em dúvida;
  • outras vezes se apresentam como algo oposto ao que imaginávamos;

Não é assim? Alguma vez você fez a leitura de algo, e depois, por algum motivo entendeu que a leitura não era aquela?

Comigo, muitas vezes.

Principalmente com pessoas, a gente se engana, ou talvez, nós somos enganados pelas percepções, técnicas e interesses individuais.

Leitura complementar: Sites de Empreendedorismo [ dicas úteis ]

O empreendedor precisa estar sempre atento para aprender a empreender.

o maior erro é aquele com o qual você não aprende nada

Quando você tem um negócio, que não vai bem, você precisará atuar neste cenário.

Há naturalmente momentos de crise nos negócios, e algumas empresas não conseguem solucionar seus problemas e encerram suas atividades.

Empreendedor com muitos sinais de negativo

Na verdade, a maior parte das empresas fatalmente não irão se perpetuar. E relaciono alguns dos motivos para que isso ocorra:

  • Falta de capacidade gerencial do empreendedor (planejamento e execução);
  • Crise econômica aguda;
  • Expansão de negócios sem capacitação do staff de apoio;
  • Novas tecnologias e produtos substitutos que irão tornar o negócio obsoleto;
  • Novos hábitos e modernização do consumidor final;
  • Problemas entre sócios;
  • Descontrole financeiro;
  • Aumento de custos repentinos que impactam diretamente o negócio;
  • Novas políticas e regulamentações governamentais;

há outros que acabei não relacionando na listagem acima.

Saiba também: Limitações para o empreendedorismo no Brasil [ artigo ]

Se você está com a “corda no pescoço”, você tem algumas possibilidades, antes de jogar a toalha.

Aprender a empreender é um hábito, e abaixo relaciono alguns dos meus aprendizados práticos:

#1. Não demore para tomar decisões;

Não se iluda com a sorte, se você está vivendo com a “corda no pescoço” há alguns meses, isso não é um bom sinal, se essa situação já passa de um ano, ou um pouco mais, é um indicador que eu considero vermelho para os negócios.

Os malabarismos são válidos no curtíssimo prazo, você até pode entender que a situação é temporária, mas é preciso muita cautela para não fazer a leitura errada, não se engane.

O lema é aprender a empreender, então use esta dica de verdade.

Uma mão desenhada com um calendário

Tome as medidas necessárias e amargas o quanto antes, o remédio amargo é uma dose única. Faça o quanto antes.

#2. Divida o negócio em partes menores para dar foco;

Você precisa ter com muita rapidez o acesso ao mapa da empresa, e entender cortes de todos os tipos, inclusive a desmobilização de áreas que parecem fazer sentido, mas que neste momento de crise é melhor deixar de lado.

Foque apenas no que é primordial para sua sobrevivência imediata.

#3. Reduza custos e venda o que for possível;

Venda tudo que for possível, tente transformar custos fixos e variáveis e não deixe escapar nada, neste momento é primordial restabelecer o caixa do negócio.

#4. Cuide dos seus fornecedores como nunca;

Seja transparente, demonstre a situação da forma como ela é, e reforce a intenção de estar determinado à resolver a equação. Não fuja de telefonemas, traga-os para perto, tenha certeza que você terá condições que nunca havia pensado.

Seja realista com a sua situação, e não prorrogue o problema para resolução imediata, talvez o status da crise permaneça ainda por um tempo significativo.

#5. Renegocie contratos;

Cartoon com uma prancheta de atividades

Peça carência, isso é uma das questões mais importantes. Ligue para o seu credor e esclareça a sua condição atual, por mais que esta seja uma realidade dura de ser apresentada, na maioria das vezes o credor vai entender que é melhor dar a folga do que arriscar a perda total com você.

#6. Corte funcionários;

Essa é uma situação muito difícil, mas você não tem escolha, ou encerra o negócio de uma vez, ou realiza um corte que represente parcela significativa do seu quadro. Faça o desligamento de uma única vez.

Chame o sindicato para uma conversa franca, demonstrando tentativa de manutenção de parte da equipe e além disso, encaminhe uma negociação com carência para pagamento dos que saíram. Parece difícil, mas lembre-se que você não tem escolha.

Isso é aprender a empreender, gerir pessoas em todas as situações, pessoas são recursos.

Alinhe os funcionários que permanecerão, de que você não quer realizar mais desligamentos e que você precisa do comprometimento acima da média com todos.

#7. Chame advogados para este trabalho;

Há muitas oportunidades nos negócios que podem ser contidas, em função da situação econômica da empresa, traga seus advogados para orientações que causem menor impacto.

Para pequenas empresas, a lei de falências não é tão simples de ser posta em prática, então o melhor caminho é o entendimento com parceiros. Até porque na justiça as questões que você deixar para trás levarão mais tempo do que se imagina.

#8. Corte seu próprio salário ou parte dele;

Sim, você também faz parte das economias, isso será um exemplo para toda a organização, inclusive para quem controla sua participação.

É neste momento, mais do que nunca que você estará sendo observado por todos.

#9. Tente ampliar a sua visão, saindo do olho do furacão;

Atuar para atacar pequenos incêndios no meio do negócio parece ser uma alternativa mas pouco influenciam na crise como um todo.

É preciso sair do ambiente do negócio e visualizar o problema sob outras perspectivas. Pense nisso, e você poderá encontrar caminhos ainda não percebidos.

#10. Mantenha o bom humor;

Mesmo em uma situação difícil, você é o termômetro da organização.

O seu stress representará o aumento da tensão do negócio e esta energia irá impactar no esforço coletivo.

Empreendedor em cartoon com uma lâmpada com uma ideia ou boa disposição

#11. Não desista facilmente;

É muito comum pensar em desistir quando a tensão aumenta.

Ameaças de todos os tipos, funcionários entrando na justiça do trabalho, ações judiciais batendo à sua porta, sua vida pessoal totalmente destruída.

O cenário da crise é um cenário de um território bombardeado.

Saiba mais: Não tenha medo de empreender na crise [ artigo ]

O gosto da virada será fantástico, se tudo der certo.

se não der certo, e você tentou, simplesmente arrume outra coisa para fazer e siga sua vida com mais experiência.

Se a situação do seu negócio ficar difícil, agora você tem alguns caminhos a percorrer até esgotar todas as saídas.

Cartoon sentado no sofá lendo um jornal

Ninguém monta um negócio pensando em fechar, pelo contrário, desde o início de uma empresa você vive muitas dificuldades e desafios.

Esta é a vida do empreendedor. Aprender a empreender é o lema.

Aprender a empreender – questões brasileiras

A realidade no Brasil é a de que o estado brasileiro construiu um modelo de intolerância a problemas.

Porém, os problemas fazem parte da realidade de um negócio, e a gestão desta situação é o combustível do empreendedor.

Há tipos de problemas que emperram o crescimento de um negócio, outros, fazem parte e ajudam na capacitação dos jovens empreendedores.

Encerrar uma empresa no Brasil é encarado como um fracasso, como algo vergonhoso e poucos entendem como apenas o fim de um ciclo.

Não caia nessa! Se você fechou uma empresa, eu acredito em duas questões:

  • que você lutou até onde pode para manter-se em pé;
  • que você aprendeu muitas lições, que vão te capacitar para novas iniciativas;

Não tenha medo, acredite em você mesmo, e o que você passou tem valor.

Aprender a empreender é um tema muito oportuno pois demonstra que o exercício da administração de uma empresa é uma grande escola.

  • Na escola, nosso maior aprendizado são os erros;
  • Na vida, os erros também nos fortalecem;
  • Nos negócios, os erros constroem um aprendizado único, que você irá levar para sempre, isso chama-se bagagem;

E como descrevi acima, o estado brasileiro está montado para dificultar a vida do empreendedor que vive dificuldades. Mas este é um tema para um outro artigo.

Cartoon com vários relógios na volta

É muito gratificante iniciar um pequeno negócio, e construir um caminho. Mas como dizem:

o Brasil não é para amadores

Este artigo sem dúvida servirá para muitos empreendedores em dificuldade.

E por fim, entenda uma coisa: você é muito maior do que um único sonho. Você pode mais, você merece mais e você vai dar certo!

Acredite em mim e muito sucesso daqui pra frente.

Rodrigo.

Ah, conheça meus cursos de empreendedorismo e marketing online, clique na imagem abaixo.

Fotografia de Rodrigo Miranda em preto e branco com um coração vermelho grande

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − 12 =